Hospital da Vida de Dourados atenderá só urgência e trauma em agosto

hosp da vida
A partir do mês de agosto, o Hospital da Vida passará a atender apenas casos de urgência e trauma. A mudança, segundo a secretária de Saúde Berenice de Oliveira Machado se dá devido à reorganização do fluxo naquela unidade, que passa por obras de reforma e ampliação.
 
Os demais atendimentos passarão a ser realizados pela UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e unidades básicas de saúde.
 
Atualmente, três unidades de saúde da rede municipal têm horário diferenciado, com atendimento estendido até às 22 horas, que são as UBS da Seleta, do Parque das Nações 2 e da Vila Cachoeirinha. A UPA atende 24 horas.
 
O Hospital da Vida é ‘porta de entrada’ do SUS (Sistema Único de Saúde) e atende pacientes não só de Dourados, mas de toda a Grande Dourados, Vale do Ivinhema, Cone Sul e região de fronteira, incluindo até pacientes do vizinho país Paraguai, que entram via municípios fronteiriços.

Cantor de Dourados esperou por 10 anos para comprar o chalé dos sonhos

chale

Sem muros, de telhado que encosta no chão, não tem portão, campainha, esquina das ruas Lúcio Nunes Stein e Pedro Celestino, não tem quem não saiba quem mora ali. “É do Tim, cantor do Kikão”, respondeu um dos vizinhos à reportagem do Lado B.

De chapéu, como quem está pronto para um baile, Tim atende às batidas na porta. Músico na cidade desde 1975, Valentim Sgaravatti tem hoje 63 anos e acumula história de vida e canções na cidade de Dourados onde já se tornou folclore.

Nascido em Jales, interior de São Paulo, com 19 anos chegou à Dourados, mas não para cantar. E sim ser contra-baixista em uma banda. Cantor desde a “roça”, como costuma dizer, no primeiro baile com este grupo, um desentendimento entre o vocalista e o guitarrista lhe deu a oportunidade que precisava.

“Sempre fui assim, fora da casinha. Eu estava tocando, mas sabia o que acontecia em todos os instrumentos”, explica. Na ausência do vocal, foi ele quem assumiu o microfone e ao final do show, anunciou que não era preciso ir atrás de cantor, ele mesmo faria o papel.

Desde então, o repertório é o mesmo. “Tudo coisa do passado”, como faz questão de frisar. Sem nada que chegue perto do Universitário, o que Tim gosta é de cantar Roupa Nova, Rita Lee, Elba e Zé Ramalho e Fagner. E entre cantorias e shows, Tim também entrou para campanhas políticas e até hoje é o responsável pela sonorização da Câmara Municipal.

A casa – No estilo “chalé”, a casa que segundo o atual dono foi construída em 1977, demorou uma década para ser dele. Vontade ele tinha de sobra, mas era o bolso que lhe faltava. “Eu não tenho certeza se ela foi feita pelo Paulinho ou pelo Pesarino”, põe em cheque a origem. O que Tim sabe é que desde 1982 ele queria morar ali.

“Aí foi o seguinte, eu passava e gostava muito dela. Não tinha nada nesse bairro, a cidade se resumia só bem mais para baixo e eu me encantei com ela”, lembra. A primeira vez que ele chegou para comprar, não conseguiu. “Fiquei apaixonado na casa, simplezinha, do jeito que eu queria”, recorda.

Foi uma década de poupança e sorte. “Eu vinha vindo nessa rua e de lá, quando virei, vi a placa de vende-se. Pensei: vai ser agora. Peguei um alicate e arranquei a placa. Se eu não comprar, ninguém compra. Pus na caminhonete e fui para a imobiliária”, gargalha.

Em negociação direta com o dono, a proposta era de 70 milhões de cruzeiros, o dinheiro usado à época. “Vendi dois carros, uma chácara e usei o dinheiro de campanha”, conta. Faltaram ainda 20 milhões de cruzeiros, que ele pagou com o tempo e que teve adicionado os juros de 6 milhões.

“Por que eu gosto dela? Não sei, acho que em outra geração, outra vida, eu fui europeu. Gosto tanto de coisa da Europa… Não sei como morar em outra casa”, afirma.

Festival de Inverno de Bonito impulsiona setor de turismo em baixa temporada

Festival-de-Bonito-2

A cidade de Bonito, conhecida internacionalmente como um dos principais destinos de ecoturismo do mundo, pode se tornar também um destino de cultura. A 20ªEdição Comemorativa (de 25 a 28 de Julho), que sempre conta com grandes nomes nacionais da música, teatro e dança, tem muito a contribuir com este novo cenário.  Diversidade cultural, discussões temáticas e sociais estão entres as atrações do Festival, cujo mérito é valorizar e dar visibilidade à cultura sul-mato-grossense em todas as suas vertentes.

Além das belezas naturais, a época é uma excelente oportunidade para o turista visitar a cidade, principalmente os sul-mato-grossenses. Criado em 1999, com a proposta de integrar diversas expressões artísticas e atrair mais turistas para a região, o Festival de Inverno de Bonito, ao longo dos anos, foi ganhando mais importância e tornou-se um dos eventos mais aguardados no Estado.

Com ações importantes em prol da cultura, o evento também contribui para movimentar a atividade econômica na região. De acordo com pesquisas das edições anteriores, o Festival é um motivador de fluxo de turismo e gera benefício econômico para todo o município, na opinião do diretor-presidente da Fundação de Turismo do Estado (Fundtur), Bruno Wendling. Segundo ele, a cidade tem vários elementos para se transformar num destino como Paraty, que alia beleza natural, cultura e gastronomia.

“Além de atrair turistas, o Festival é mais uma alternativa, um valor agregado para quem já está na cidade”, explica Wendling, ressaltando que, ainda segundo pesquisas, 88% das empresas se beneficiam com o Festival. “São hotéis, restaurantes, comércio, toda a cadeia turística se beneficia”, conclui. No mesmo período ano passado, a taxa de ocupação hoteleira, no total, foi de 67%, melhor julho dos últimos quatro anos.

Para o 20º Festival de Inverno as expectativas são ainda melhores. O diretor do grupo Zagaia, Guilherme Poli, conta que o resort está com 100% da sua ocupação reservada para o período. A escolha da data, final de julho, segundo ele, é perfeita tanto para o turista quanto para o trade, porque é uma época em que a ocupação começa a cair.

“Sem o Festival, nossa ocupação neste período seria de 40%”, explica, reiterando que os preços praticados também caem bastante. Entusiasmado com o evento, Guilherme torce para que o Festival pudesse durar 10 dias. Isto, segundo ele, aumentaria o tempo de permanência do turista na cidade. “Bonito se transforma com o Festival”, diz o empresário que acaba de criar, junto com o trade turístico, o Instituto de Desenvolvimento de Bonito, para realizar ações de marketing. É a classe se unindo em torno do mesmo objetivo.

Fundamental para o município

E é exatamente a divulgação, inclusive nacional, a mídia espontânea gerada pelo Festival, um dos fatores que, segundo o secretário de Turismo de Bonito, Augusto Mariano, que consolida o destino. “O Festival tem importância fundamental para nós, principalmente porque ele nos coloca na mídia positiva antes, durante e depois do evento”, diz o secretário, acrescentando que esta divulgação atrai principalmente turistas de países vizinhos, como Bolívia e Paraguai, além de São Paulo e, claro, os turistas das cidades vizinhas.

“Durante cinco dias somos a capital do Centro-Oeste”, ressalta.  Para se ter ideia do quanto o Festival movimenta a economia local, Augusto faz a seguinte conta: de cada real colocado pelo Governo, há um retorno de cinco a seis reais para o município. A expectativa é que este ano seja gerado cifra em torno de R$ 10 a R$ 12 milhões durante os quatro dias de programação. “São cerca de 30 a 40 mil pessoas que vão dormir, comer, comprar algum souvenir; isto movimenta toda a cadeia produtiva do turismo”, explica o secretário.

Para a presidente do Bonito Convention & Visitors Bureau, a empresária Tânia Van der Sand, a expectativa para o Festival deste ano é de 100%. ‘“O evento já é consagrado e as pessoas se programam com antecedência”, diz elogiando o fato da divulgação desta edição ter sido feita com mais antecedência. Bonito, segundo ela, depende do Festival para movimentar a economia, principalmente neste período, considerado baixa temporada.

“Quanto antes for divulgada a programação, mais tempo os turistas têm para se programarem”, explica. Proprietária de um Hotel na cidade, Tânia conta que atendeu ao pedido do secretário de Turismo, feito a todo trade, para que os preços fossem mais acessíveis durante o Festival. “Ele fez um grande esforço neste sentido, ligando pessoalmente para todos os empresários”, conta.

Dos atuais 6.559 leitos disponíveis em Bonito (segundo inventário feito em maio pelo Bonito Convention & Visitors Bureau), há opções para todos os bolsos. Mas quem deixar para última hora corre o risco de não conseguir uma vaga. Propriedades que responderam ao questionamento no grupo da ABH (Associação Bonitense de Hotelaria), disseram que estão com 100% de ocupação no período.

Mesmo com formato mais enxuto, segundo a diretora-presidente da Fundação de Cultura de MS (FCMS), Mara Caseiro, o Festival não deixou de contemplar todos os seguimentos culturais e envolvendo a comunidade de Bonito. Além da programação oficial, este ano, pela primeira vez nos 20 anos de evento, algumas atrações irão até o assentamento Guaicuru e o Distrito Águas de Miranda nos dias 20 até 23, numa programação chamada de Pré Festival.

Mara também compartilha do mesmo ponto de vista do diretor-presidente da Fundtur, Bruno Wendling, afirmando que Bonito está entrando na rota do turismo cultural. “Mato Grosso do Sul está mostrando ao Brasil o que temos de melhor na nossa cultura”, atesta. Além da movimentação na economia da cidade e região, o Festival de Bonito ainda cumpre a função social importantíssima. Quem nunca teria acesso a um espetáculo de nível nacional de música, teatro e dança, pode assistir tudo de graça e ainda participar de oficinas, visitar galerias de artesanato. “O Estado está cumprindo seu papel e fazendo inclusão social no município”, elogia o secretário de Turismo de Bonito, Augusto Mariano.

Governador participa da abertura do maior evento científico da América Latina

Abertura-da-71ª-Reunião-anual-da-SBPC-Foto-Edemir-Rodrigues-24

 Ciência, tecnologia e inovação têm papel fundamental na criação de uma sociedade melhor para todos. A ideia foi defendida pelo governador Reinaldo Azambuja na abertura da 71ª Reunião Anual da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência), realizada ontem (22) no Teatro Glauce Rocha.

Considerada o principal evento científico da América Latina, a reunião de 2019 da SBPC – entre 21 e 27 de julho –  tem como sede o campus de Campo Grande da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). Em 70 anos de existência, essa é a primeira vez que o encontro é realizado no Estado.

Ao  longo da semana, pesquisadores brasileiros e estrangeiros vão se reunir na universidade para apresentar resultados de pesquisas e debater estratégias de políticas de Ciência, Tecnologia e Inovação, diante do tema: “Ciência e inovação nas fronteiras da bioeconomia, da diversidade e do desenvolvimento social”.

Reinaldo Azambuja destacou a importância do evento na busca de caminhos para o desenvolvimento social. “O mundo globalizado impôs a todos os setores da sociedade enormes desafios e a ciência tem papel extraordinário nessas transformações que estamos vivendo”, afirmou.

O ministro substituto do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Julio Semeghini, também participou da abertura da SBPC e falou sobre o encontro. “É oportunidade de trabalharmos de forma integrada, desenvolvendo todos os setores, para avançarmos na ciência brasileira e melhorar a vida das pessoas”, falou.

Ministro vem à Capital liberar R$ 166 milhões para saúde e habilitar serviços do SUS

Hospital-Regional-MS-edemir-rodrigues-1
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, vem a Campo Grande na próxima segunda-feira (22.07) para anunciar mais de R$ 166 milhões de investimentos na saúde para Campo Grande e outros 56 municípios do Estado. Com a articulação do Governo do Estado junto ao Ministério da Saúde, serão habilitados em 13 cidades diversos serviços oferecidos à população por meio do SUS (Sistema Único de Saúde), como leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e centros de atendimento psicossocial.

Do montante total, R$ 13 milhões serão destinados à ampliação da Unidade de Atenção Especializada em Saúde  do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul. O projeto contempla a ampliação de 30 novos leitos de internação clinica e cirúrgica, 10 leitos de UTI adulta e a ampliação do setor de Reabilitação, em especial para pacientes ortopédicos. Heverá ainda a reforma da Farmácia, Almoxarifado, Central de Medicamentos e Área de Apoio Logístico e Técnico. Anexo ao hospital, um novo bloco será construído para alocar esses setores.

Só de emendas parlamentares serão liberados para Mato Grosso do Sul mais de R$ 48 milhões, sendo R$ 30 milhões de emendas individuais, entre elas três emendas propostas pelo atual secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, enquanto ainda era deputado. Com as emendas de Resende, serão destinados R$ 735.250 mil para compra de equipamentos e custeio de unidades hospitalares de três municípios: Água Clara, Naviraí e Japorã. No total, mais de 50 municípios serão beneficiados com as emendas parlamentares.

“No dia da visita do ministro serão concretizados importantes investimentos na saúde do nosso Estado. Além da habilitação de muitos serviços, o que garante o custeio do Ministério da Saúde, serão pagas as emendas parlamentares, um incentivo de extrema importância para as cidades”, disse o secretário de Saúde, Geraldo Resende.

Serão habilitados no Estado diversos serviços de atendimento à saúde que vão beneficiar 13 municípios, no valor de R$ 16.642 milhões. Entre as demandas de ações e serviços haverá incremento de leitos de UTI adulto e pediátrico, repasse de recursos para SAMU, CAPS (Centro de Atenção Psicossocial), incluindo os indígenas, postos de assistência médica, policlínica de atendimento à mulher, entre outros.

Antes de voltar a Brasília, o ministro cumpre outros compromissos na Capital como entrega de caminhões e lançamento da Campanha de Vacinação de Hepatites realizada pela Sesau (Secretaria Municipal de Campo Grande).

Para Reinaldo Azambuja, ponte no Rio Paraguai coloca Porto Murtinho no centro da Rota Bioceânica

porto murtinho gov

Com a presença do governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, o governo do Paraguai autorizou na manhã deste sábado (20) a licitação para elaboração do projeto executivo da ponte de concreto sobre o Rio Paraguai, unindo os municípios fronteiriços de Porto Murtinho a Carmelo Peralta. A travessia, que viabiliza o Corredor Bioceânico (Atlântico-Pacífico), será iniciada em abril de 2020, com conclusão em três anos.

A ponte, que significará a redenção econômica da região Sudoeste do Estado e do Alto Paraguai, na opinião do governador, será construída com recursos (R$ 290 milhões) da Itaipu Paraguai e terá uma extensão de 680 metros. Durante ato de lançamento da licitação, em Carmelo Peralta, pelo presidente paraguaio Mário Abdo Benítez, o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) entregou o estudo de impacto ambiental da obra.

“Vivemos um momento histórico e quero parabenizar a atitude arrojada dos governos do Brasil e do Paraguai por unir os dois países por uma obra emblemática, que também nos torna competitivos na medida em que encurtamos caminhos em mais de oito mil quilômetros de distância ao mercado asiático”, afirmou Reinaldo Azambuja, ao saudar o presidente paraguaio.

Governo paraguaio recebeu o Estudo Técnico, Econômico e Ambiental (Evtea) da obra da ponte elaborado pelo Dnit

Um grande passo

Ao ressaltar a materialização de uma logística fundamental para o agronegócio e o desenvolvimento da região, o governador disse que Brasil e Paraguai estão dando um grande passo para a tão sonhada integração latino-americana. “No mundo, durante muitos séculos, países construíram muros, barreiras e relações conflitantes. Hoje vivenciamos outra realidade, a construção de uma travessia que integra os povos irmãos e gera oportunidades”, frisou.

Reinaldo Azambuja disse que Porto Murtinho, com a construção da ponte e os investimentos portuários para fomentar o transporte pela Hidrovia do Paraguai, deixará de ser o fim de linha e uma região estagnada pelo seu isolamento. “Esta região será o centro do eixo entre os oceanos Atlântico e Pacífico, atraindo a produção de 100 milhões de toneladas de grãos da região Centro-Oeste e fomentando o turismo, outra fonte de riqueza”, destacou.

Depois de reforçar o convite ao presidente paraguaio para participar da entrega da nova sede da Colônia Paraguai, em construção pelo Governo do Estado em Campo Grande, ainda este ano, o governador disse que estará presente à inauguração da ponte sobre o Rio Paraguai, em abril de 2023. “Não serei mais o governador do meu Estado, mas faço questão de estar aqui como cidadão comum, compartilhando desse momento histórico”, disse.

Reinaldo Azambuja e o secretário Jaime Verruck acompanharam o presidente paraguaio na visita ao local onde será construída a ponte

Fim do isolamento

Para o presidente do Paraguai, Mário Abdo Benítez, a obra financiada pela Itaipu Binacional rompe o isolamento do Alto Paraguai e simboliza a fraternidade entre brasileiros e paraguaios, além de promover forte impacto econômico, social e cultural em toda a região. “(A ponte) será o motor do desenvolvimento sem precedentes, com esse gesto vamos superar a falta de confiança e recuperar a autoestima de uma região pouco valorizada”, acentuou.

Ao final do evento, realizado na margem direita do Rio Paraguai, em Carmelo Peralta, o governador Reinaldo Azambuja e demais autoridades acompanharam o presidente paraguaio na visita ao local onde será implantada a ponte de concreto. O deslocamento foi feito no Barco Tupasy. Na oportunidade, o engenheiro Pánfilo Benítez, da Itaipu Paraguai, detalhou o projeto da obra, que seguida o modelo estaiado da ponte sobre o Rio Paraná, entre o Estado e Minas Gerais.

Benítez informou que o projeto executivo a ser contratado se baseará em um anteprojeto elaborado pelo Dnit, o que dará maior agilidade para o início das obras, previsto para março de 2020. Estudo de batimetria vai definir o melhor local para contruir a ponte, partindo do ponto referencial do órgão do Ministério dos Transportes. A travessia será 380 metros de grãos livres e uma pista de 19,90 metros, com quatro pistas e acessos laterais para circulação de pessoas.

Presidente do Paraguai Mário Abdo e o governador Reinaldo Azambuja assistem apresentação do detalhamento do projeto da ponte

Alfândega integrada

A viabilidade do Corredor Bioceânico significará a redução em 17 dias de viagem das commodities do Estado em direção ao mercado asiático, saindo dos portos de Paranaguá ou de Santos. O secretário estadual Jaime Verruck, da Semagro (Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), que acompanhou o governador Reinaldo Azambuja no evento em Carmelo Peralta, disse que é um ganho significativo.

“A Ásia é o melhor mercado para Mato Grosso do Sul, que hoje representa 54% da receita do Estado com as exportações de soja, celulose, açúcar, couro e outros produtos”, explicou. O  secretário adiantou que, paralelamente aos avanços na logística, o governo está avançando na discussão das questões alfandegárias para destravar embaraços aduaneiros. Em agosto, deverá ser assinado um acordo sanitário animal e vegetal com o Paraguai.

Verruck também anunciou que a Semagro coordena com os órgãos federais de fiscalização a implantação de uma alfandega integrada com o Paraguai, próximo à ponte, do lado brasileiro, para dar maior agilidade na tramitação legal de cargas e acesso de pessoas. “O equacionamento da infraestrutura é questão de tempo, temos agora que trabalhar a parte alfandegária de forma integrada, que é fundamental para darmos fluidez às cargas”, disse.

Governador participa de lançamento da licitação de ponte sobre o Rio Paraguai

Obra do porto da FV Cereais segue em ritmo acelerado, com previsão de conclusão em abril do próximo ano

O governador Reinaldo Azambuja cumpre agenda nesta sexta-feira (19.7) e sábado em Porto Murtinho, onde visita as áreas dos novos portos em construção e projetados no município e participa do lançamento da licitação pública do projeto executivo da ponte de concreto que será construída sobre o Rio Paraguai. O ato terá a presença do presidente do Paraguai, Mário Abdo Benítez, e da diretoria da Itaipu Binacional.

Acompanhado do secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Agricultura Familiar e Produção (Semagro), Jaime Verruck, o governador chega a Porto Murtinho às 14h. Em seguida, conhecerá o canteiro de obras do porto do grupo FV Cereais, que deve operar a partir de abril de 2020, com investimento inicial de R$ 56 milhões. O Chefe do Executivo visitará também as áreas portuárias de Saladeiro e Porto Docas.

Na sequencia, Reinaldo Azambuja terá uma reunião reservada com o diretor-presidente da Itaipu Paraguai, José Alberto Alderete Rodrigues. A empresa binacional financiará a construção da ponte sobre o Rio Paraguai, no valor de U$ 75 milhões, obra vital para viabilizar o Corredor Biocêanico, que ligará por rodovias Mato Grosso do Sul aos portos do Chile, no Oceano Pacífico, e encurtará distâncias no escoamento de commodities para os países asiáticos.

No sábado, às 8h, a convite do presidente paraguaio Mário Abdo Benítez, com quem se encontrou na semana passada em agenda oficial em Assunção, o governador se deslocará para a cidade paraguaia de Carmelo Peralta, que faz fronteira com Porto Murtinho, para participar do ato histórico que marcará a abertura da licitação para elaboração do projeto executivo da ponte sobre o Rio Paraguai. A estrutura de concreto terá 680 metros de cumprimento.

Morte no cinema em Dourados ocorreu por causa de uma poltrona em sala com 219 vazias

morte no cinema

Delegado concluiu inquérito e indiciou policial militar que efetuou disparo fatal com briga encerrada por homicídio

O assassinato do bioquímico Julio Cesar Cerveira Filho, de 43 anos, ocorreu por causa de briga motivada pela ocupação indevida de uma poltrona em sala de cinema com 219 lugares vagos. A vítima foi morta em Dourados no início deste mês com um tiro disparado pelo policial militar Dijavan Batista de Souza, de 37 anos, preso desde então e indiciado nesta semana pela prática de homicídio.

Finalizado na quinta-feira (18) pelo delegado Francis Flávio Tadano Araújo Freire, da 2ª Delegacia de Polícia Civil de Dourados, o inquérito colheu depoimento de 20 testemunhas, teve oito perícias 13 diligências realizadas, além de contar com análise das imagens de câmeras de vigilância fornecidas pela empresa que administra o cinema do shopping.

A investigação sobre o homicídio ocorrido às 14h15 do dia 8 de julho na sala 1 do cinema, que exibia filme infantil, concluíram ter ficado provado “que a morte da vítima Julio Cesar deu-se por traumatismo crânio encefálico produzido por projétil de arma de fogo”. “Ficou esclarecido que ocorreu um único disparo a curta distância”, detalha o inquérito.

O delegado menciona ainda que as imagens disponibilizadas pelo cinema ratificaram as provas testemunhais de que, antes do disparo, a vítima teria agredido fisicamente o autor. Essa versão foi mantida pelo policial desde a prisão em flagrante.

 

“O indiciamento inicial pelo crime de homicídio foi mantido ao final do inquérito, haja vista a existência da versão que o disparo da arma de fogo ocorreu quando a contenda tinha momentaneamente se encerrado”, pontuou o delegado.

Em outros detalhes apurados na investigação, é possível entender que a morte ocorreu por causa de briga motivada pela ocupação indevida de uma poltrona em sala de cinema com 219 lugares vagos.

Policial militar há 15 anos, Dijavan estava lotado na PMA (Polícia Militar Ambiental) de Dourados, onde chegou a permanecer preso na semana do crime. Contudo, foi transferido para o Presídio Militar de Campo Grande por determinação judicial, que converteu a prisão em flagrante para preventiva.

A arma utilizada no crime, uma pistola Smith Wesson, calibre .40, não tem registro, conforme o boletim de ocorrência. Questionado pelo delegado Rodolfo Daltro sobre o motivo de portar uma arma sem registro, o policial argumentou ser herança do pai, bombeiro da reserva falecido há dois anos, e disse usá-la de vez em quando por ser leve e portátil.

Ele justificou que a pistola disponibilizada pela PMMS (Polícia Militar de Mato Grosso do Sul), uma IMBEL MD7, “é extremamente pesada e grande”. (Com informações de André Bento)

Ex-namorado não aceita fim da relação e mata jovem de 20 anos com facada no pescoço

ex-namorada
Daiane Oliveira Barbosa, 20, foi morta no começo da tarde de quinta-feira (18), em Confresa, Mato Grosso (1.160 km a nordeste de Cuiabá), com uma facada no pescoço. O suspeito do crime é o ex-namorado dela, que não aceitava o fim do relacionamento, e está foragido.
 
Conforme as informações, Daiane estava em sua casa, na companhia de dois menores, que são seus vizinhos, de 13 e 7 anos. Em certo momento, as crianças foram até o mercado e Gedeon Silva Morais, 25, ex-namorado dela, invadiu o local.
 
Ele teria partido para cima dela, houve uma luta corporal e em seguida, deu uma facada n o pescoço de Daiane. Quando ele estava fugindo, as crianças chegavam na casa e o viram pulando o muro com uma faca suja de sangue. Ambulância foi até o local e constatou a morte da jovem.
 
Relacionamento abusivo 
 
A tia da vítima, que registrou o caso na delegacia, informou que Gedeon é agressivo e que mantinha um relacionamento abusivo com a sobrinha. 
 
Segundo ela, o casal morava junto, mas ela voltou para a casa na terça-feira (16), após terminar o relacionamento. 
 
Vítima havia relatado à família que era vítima de agressões, ameaças e cárcere privado. A polícia faz diligências em busca do suspeito, que fugiu após o crime.

Barbosinha diz que obras da Hayel Bon Faker (Dourados) começam nos próximos dias

hayel bon facker

Principal via de entrada e saída de Dourados a Av. Hayel Bon Faker, a Avenida Bahia, vai ser totalmente revitalizada. A ordem de Serviço para início das obras já foi dada, segundo o deputado estadual Barbosinha (DEM-MS), um dos principais defensores da execução do projeto junto ao secretário de Obras, Murilo Zauith e o governador, Reinaldo Azambuja.

Durante reunião do parlamentar esta semana com o secretário-adjunto da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) e diretor-presidente da Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul), Luiz Roberto Martins de Araújo, a informação foi confirmada.

Barbosinha disse que a revitalização total é um anseio antigo da população e comerciantes do local. “É uma ação do Governo do Estado em benefício dos douradenses e ver este projeto, que é uma luta do nosso mandato, sair do papel e, enfim, ser executado, muito nos orgulha. Dourados precisa ter melhorias da infraestrutura viária, precisa desta rua mais bonita e com mais mobilidade urbana. Estamos comemorando este passo”, afirma o deputado.

A Avenida é uma das mais importantes vias do município de Dourados para quem vem ou vai sentido região de fronteira com o Paraguai e sul do país, além de bairros importantes. “Vamos acompanhar bem de perto o andamento desta obra, já que há tempos estamos seguindo a execução do projeto e a liberação dos recursos. Uma vitória e tanto para a população e para os nossos empresários”, celebra o parlamentar.

O deputado ainda explicou que durante o encontro teve a garantia de que o Executivo Estadual dará início a completa revitalização da Avenida Bahia nos próximos dias. “As obras já vão começar, de imediato. É muito bom isso”, finalizou.